0 Vem e vai, mas fica!

Depois de um ano lutando contra o tempo, a preguiça e cansaço para manter esse blog ativo, estou muito orgulhosa de mim mesma! Quem me lê pela primeira vez pode não entender do que estou falando, mas os leitores perseverantes, aqueles que insistem em me visitar quando desapareço sabem bem do que estou falando. Acho que já podemos mudar o tom da conversar e mostrá-los um pouco mais de mim e isso os levará a entender que eu sou e porque me orgulho tanto desse blog, mesmo não tendo um milhão de leitores nem me tornando uma "garota coisa".

Tenho muitas dificuldades para manter atividades nas quais a frequência diária seja uma obrigação (com exceção da faculdade e do trabalho), ou seja, aquelas em que você assume o compromisso de fazer aquilo por uma vontade, desejo ou impulso só seu e que o interesse também é muito mais seu. Não me dou bem com a academia, atividades rotineiras me entediam rapidamente. A verdade é que nesse aspecto (e em alguns outros), sou super indisciplinada e acabo desistindo, em um curtíssimo prazo de tempo, de muita coisa.

Desde muito nova sempre levei as coisas mais sérias, a sério de mais. Trabalhos e produções acadêmicas então, sempre foram feitos com muito empenho e buscando atingir a perfeição definida por mim, embora ainda pesasse muito a aprovação alheia. E em prol dessa qualidade exigida por mim nesses outros âmbitos da minha vida, acabava sabotando quase tudo que fazia para me divertir, entreter ou que se alguma forma me desse muito prazer e carregasse quase nada do peso da obrigação tão intríseca às outras coisas.

Quando comecei o blog resolvi explorar um lado mais leve e divertido da vida feminina que é o experimentar algo novo, o prazer de comprar um produto com seu suado dinheiro e descobrí-lo um achado, a alegria e boa energia que caminha com o cuidar de si, de se mimar, se acarinhar e de se sentir bela. Isso me gerou muita insegurança porque vivemos numa sociedade em que ao contrário do que reza a filosofia (recorro à  Friedrich Schiller e suas cartas*), o senso comum conecta beleza à futilidade e intelectualidade à descuido com a aparência.

Apostei no meu impulso e criei esse espaço. Nesse meio tempo precisei desistir da licenciatura em dança porque precisava trabalhar para pagar as contas, peguei vários trabalhos ao mesmo tempo, já esse ano voltei  a dar aulas para o ensino fundamental e continuo com minhas outras atividades (revisão de textos, pesquisa individual em dança, leituras, o blog, meus artesanatos....). Apesar do volume de trabalho ter aumentado considerávelmente de março para cá, consegui não desistir e de um jeito ou de outro volto para reanimar o blog. Isso pode parecer ridículo para outras pessoas, mas não me importo porque sei que esta besteira tem um significado de conquista e vitória muito grande para mim.

Sei que quando o calendário aperta eu preciso dar um tempo um tempo do blog porque afinal sou humana e em alguma hora da vida fico exausta, desgastada até a última gota e preciso não fazer nada ou fazer algo só para mim, me dedicar exclusivamente à minha vida familiar, porém sempre volto para me centralizar e "desbaranguizar"(... e como a correria e o cansaço tendem a deixar a gente baranga... é sempre preciso dizer um "EPA!!! Tô me descuidando, vou mudar isso já!").

Sou  extremamente exigente em tudo que faço e me identifico, com o blog não é diferente. Sofro de culpa quando não consigo postar, por não estar gravando nenhum vídeo porque não vou ter tempo para editá-lo, por ter que adiar postes porque não tenho tempo de organizar os produtos para fotografá-los ou para organizar e montar as fotos que ilustrarão a publicação. Sei que algumas pessoas ficam ansiosas  pelas novidades e vou continuar tentando manter nossa relação e fazê-la crescer cada vez mais. Espero que vocês me ajudem nesse trajeto, pois a cada dia que passa me convenço mais de que não somos nada sem amigos e que os amigos certos (e  não me refiro à interesses, e sim à verdade), valem mais do que você e todo seus esforços sozinho.

Um beijo grande, e um brinde à persistência!




*SCHILLER, Friedrich. A educação estética do homem, tradução de Roberto Schwarz e Márcio Suzuki. São Paulo:Iluminuras, 2002, 4a. edição

0 comentários:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p

P�gina Anterior Pr�xima P�gina Home
 

Copyright © 2012 Pitaco Pink! Elaborado por Marta Allegretti
Usando Scripts de Mundo Blogger